A Regra do Carmo

----------Os elementos da tradição monástica indicados pelo Patriarca Alberto segundo os desejos dos ermitães do Carmelo são:

1. Já que decidiram entregar-se à vida eremítica em grupo (não cada um por si individualmente), deverão eleger, um superior que os presida. Tal superior os governará com o parecer e colaboração de todos, viverá na cela mais próxima da entrada do eremitério, para poder atender mais facilmente aos que se aproximarem com intenção de associar-se ao grupo. Ele se encarregará de examinar os candidatos e de dispor as coisas de maneira oportuna para sua iniciação e admissão a esse gênero de vida. Considerar-se-á humilde servidor de todos e todos o obedecerão e honrarão como ao representante de Cristo em meio deles.

2. Cada um habitará em uma gruta ou cela independente.

3. Dedicados dia e noite a meditar a Palavra do Senhor e velando em oração.

4. A não ser que estejam ocupados em outros afazeres.

5. Cada manhã irão se reunir para a celebração da Eucaristia.

6. Será comum tudo quanto possuírem e se distribuirá entre todos, segundo a idade e necessidades de cada um.

7. Ao menos uma vez por semana deverão reunir-se para trocar impressões sobre a guarda destes pontos fundamentais da Regra e tratar da salvação das almas. Se houver alguma falta em alguém ou no grupo, aproveitar-se-á esta reunião para corrigi-la.

8. A comida será austera, abstendo-se sempre de comer carne e jejuando desde a Exaltação da Santa Cruz até a Páscoa, a não ser que por enfermidade ou debilidade, ou outra justa causa, haja que se prescindir do jejum ou abstinência, pois a necessidade não tem lei.

9. Viver de fé, esperança e caridade, nunca esquecendo que a vida é uma contínua luta e que todos os seus esforços hão de ser dirigidos a conquistar o amor a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmos, esperando sua salvação só do Salvador.

10. O trabalho, elemento essencial em toda a tradição monástica, deve ser abraçado com perseverança, à imitação de São Paulo, como meio para ganhar o próprio sustento e também evitar a ociosidade que abre a porta a toda sorte de tentações do demônio.

11. Pré-requisito indispensável para meditar dia e noite a lei do Senhor é o silêncio. Por isso, deverão evitar durante o dia os excessos no falar e à noite, desde a hora de Vésperas até a hora de Tercia, se recolherão em oração, abstendo-se de toda comunicação entre eles.

12. E se alguém se achar com forças para acrescentar algo mais a quanto aqui se estabelece brevemente – conclui Alberto – poderá fazê-lo, que o Senhor quando voltar lhe dará a paga; porém, procedendo sempre com discrição, própria da verdadeira virtude.















 
 Desenvolvido por Genea Soluções em Informática