Tributo a Frei Norberto Broeninck

Maria Regina Caixeta, e-mail: reg.caixeta@bol.com.br

--------Eu, frei Gilvander, tive a responsabilidade de dar a notícia da morte de frei Norberto a Maria Regina Caixeta, uma discípula do frei que agora coordena a Escola Profissional da Igreja do Carmo, em Belo Horizonte.
--------Frei Norberto quando investia na formação da juventude não previa que um dia teria uma de suas discípulas liderando um bonito trabalho em outra paróquia do Carmo. Regina, ao receber a notícia, chorou na hora. Senti vivamente o quanto ela o amava. Três dias depois, Regina me entregou a mensagem que segue abaixo: um tributo a frei Norberto. Frei Norberto vive em Regina assim:
-------- Ao saber, em Belo Horizonte, que Frei Norberto havia passado desta vida para a eternidade, desencadeou em mim um dia especial de lembranças, de saudades e de gratidão! Conheci Frei Norberto. Um homem que via além do seu tempo, vindo de outras paragens. Passou pela Segunda Grande Guerra e, no Brasil, pela ditadura militar. Sofreu em ambas e delas muito aprendeu. Poderia dizer como a letra da canção popular: .Hoje me sinto mais forte, mais feliz, quem sabe!
--------Como pinheirense posso dizer: A cidade de João Pinheiro tem um antes e um depois de frei Norberto. Era uma pessoa de personalidade forte, de idéias claras. Como verdadeiro .sentinela. ou profeta. captava os sinais dos tempos e sabia denunciar, tanto os desmandos da ditadura, quanto o dos políticos locais, mais interessados nos projetos pessoais. Com relação aos projetos de desmatamento do cerrado, sua voz não se calou. Hoje, a presença da monocultura dos eucaliptos e a destruição de nascentes, assoreamento dos córregos e rios são uma triste realidade. Ele anunciou isso na década de setenta. Levantou a voz contra os projetos depredadores.
--------Suas idéias avançadas marcaram uma geração de professoras, então estudantes, da .Escola Normal Frei Dionísio. Frei Norberto foi um verdadeiro missionário. No seu jeep, não media esforços para visitar as comunidades mais distantes, algumas a 150 km da sede da Paróquia. Na Pastoral fez uma opção clara pelos jovens, seguindo a orientação da Conferência de Puebla. Investiu na formação, fazendo a ligação da Palavra de Deus com a vida. Como participante do Grupo de Jovens tive a alegria de conviver com ele e de beber da sua sabedoria. Sempre estava presente em nossas reuniões aos domingos, procurando nos conscientizar sobre a realidade social. Das reuniões partíamos para visitas aos pobres na periferia de João Pinheiro. Não faltava também o lazer. Abriu o salão paroquial para fazermos bailes. Construiu quadras de vôlei, colocou mesas de tênis de mesa. Tinha clareza das necessidades da juventude e apostava no nosso crescimento. Pessoa de larga visão, sabia conviver com as diferenças: seu melhor amigo não participava da Igreja, companheiro de pescarias! Querido amigo, agora você desfruta de outras realidades. Em nós, porém, fica a saudade e a grande herança que nos deixou: sua vida doada pela causa do Reino!.















 
 Desenvolvido por Genea Soluções em Informática